sábado, 28 de fevereiro de 2015

Que cor é esse vestido ?


Que cor é esse vestido ?

Deixo claro que vejo Branco e Dourado, em nenhum momento  até agora consegui ver de outra cor.

A discursão das cores me levou ao passado, à época que, aos 17 anos, fazia o trajeto Olinda - UFPE.

Por ser um trajeto longo, não havia a tecnologia atual que nos rouba tempo, me perdia nos longos momento de contemplação e pensamento... Usava e abusava do que nos faz diferente de outros animais! Literalmente viajava nos pensamentos.

Entre uma paisagem outra que se passava na janela me convencia que tudo que conseguia vê dependia exclusivamente da minha percepção, de como os meus neurônios recebiam a informação e interpretavam quimicamente... Os sentidos do tato, olfato e visão eram nada mais que receptores e coletores de dados... 

Nos meus pensamentos, entendia que apesar de coletarem as mesma informações que outras pessoas, cada uma tem sua própria interpretação química da informação, com elementos iguais ou não.

O que é azul pra mim é azul pra você, mas a percepção (ou reação) química que transforma esta informação em um conceito  comum AZUL, certamente é diferente,  cada organismos tem seu próprio DE/PARA para converter num mesmo conceito.

"Nada na sua essência é igual, as conversões que tornam as coisas iguais"

O verde que eu percebo, quimicamente,   pode ser igual ao azul que vc ver, mas as conversões, DE/PARA, com o mundo exterior faz com que o que vc perceba seja o mesmo azul !

A ilusões de óptica é uma forma de evidenciar uma falha temporária da química "circuito" de conversão das informações para a química.  É como um carteiro entrega uma correspondência num endereço diferente, mesmo sabendo que a pessoa mora ao lado. 

Este caso do vestido, evidência, no meu entendimento, a teoria que uma coisa pode ser vista de forma diferente, basta haver uma divergência da percepção química, levado por estímulos diferente (contexto).

Veja outro Post nesta linha de pensamento 

http://avisara.blogspot.com.br/2010/09/as-subentendidas-entre-linhas-ao-vento.html?m=1



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário