terça-feira, 28 de junho de 2016

Criatividade - Não é TEDx, mas poderia ser

A criatividade vem das adversidades e das crises que a vida nos impõe.

Não é nenhum vídeo de algum TEDx pelo mundo, mas bem que poderia ser!

Vejam se não é? 

Depois me diga se o Petrucio Amorim ( https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Petr%C3%BAcio_Amorim)deveria ou não ser convidado para um sessão de TEDx....



segunda-feira, 27 de junho de 2016

Cloud - Rolo Compressor ou Asfalto


Segue publicação com um título bastante sugestivo "To Move to the Cloud, You May Need to Fire Your CIO"  que vale a pena a leitura.

- ...com Cloud o CIOs têm uma verdadeira oportunidade para brilhar, fazendo as coisas mais barato e mais ágil ou serem parte do número crescente de CIOs descartados por deixar as oportunidades passarem porque "atrapalham" a mudança para Cloud.

Minha leitura é que já chegou o momento que não tem mais espaço para ficar "no muro", ou o CIO assume o papel de rolo compressor ou terá o destino do asfalto e será esmagado nesta via de mãos única.

O uso de nuvem já passou da fase dos acomodados e "frouxos" (expressão pernambucana usada para quem é medroso) que preferem esperar, para depois correr atrás do prejuízo.  O momento é para fazer acontecer, começar mesmo que pequeno e crescer gradativamente respaldado pelos   resultados.

A melhor forma de não fazer nada é ficar querendo evitar todos os riscos. Ter um ambiente 100% seguro é uma utopia e não pode ser um desejo que impeça avançar. Riscos sempre existirão e não podem ser barreira, precisa ser conhecido e ter como diferencial saber tratá-lo. 

Se ficar esperando, o rolo compressor vai te pegar !

Leiam e tirem suas próprias conclusões.



http://www.cloudtp.com/2016/06/21/move-cloud-may-need-to-fire-cio/


To Move to the Cloud, You May Need to Fire Your CIO

CIOs should be cautious about adopting new technology, but not blindly opposed — otherwise, shadow IT takes over.


CIOs are not necessarily from IT; they can come from all parts of the company. Indeed, when I was a corporate dude running around the hall of a Global 2000 company, I often reported to a CIO who came from the accounting group or from production.
CIOs were almost always political animals, focused more on interpersonal relationships with the other executives than on the technical tasks at hand. And that's not always a bad thing because they do tend to obtain fatter budgets for IT. Still, at times it felt like the guy who was supposed to be driving the ship had no idea how to steer it.
Enter the cloud. Here CIOs have a real opportunity to shine by making things cheaper and more agile. Or they may make themselves look foolish by passing up some real opportunities to change for the better. As a result, I see increasing numbers of CIOs out of a job because they mishandle the cloud shift.
What happens to these CIOs is that they push back on cloud because owning headcount and hardware is a measure of political importance. Or they act as proxies for their technical leaders who feel threatened by the cloud. Either way, the departments work around them (shadow IT), which makes the CIO appear to be hindering progress. The CIO is fired, and the new CIO is tasked with taking over the shadow IT clouds and putting everything back under the IT umbrella.
To be fair, it's often been wise not to adopt highly hyped new waves of technology. Much of it is simply an unproven fad that dissipates after a few short years. When I was a CTO, I succeeded by enforcing evaluation of new technologies on realistic terms and often made an unpopular call by saying "no," "wait," or "start small and see."
CIOs must cull through emerging technologies to determine their real value and the appropriate level of investment, if any. That seems to be a skill most CIOs don't have. So, faced with the rise of the cloud and its compelling opportunities, these CIOs fall back on old, bad behaviors.
Should your CIO be fired if your company is to take real advantage of the cloud? To make that decision, the core metric should be the degree of effective use of technology to support the business. This means taking some well-considered risks, rather than avoiding all risks or taking every risk. And understanding when to take those risks is a career skill that can't be taught.
CIOs who push back on promising new technologies for political, emotional, or other non-business-supporting reasons will — and should — find themselves out of a job.

This article originally appeared on InfoWorld under the title To move to the cloud, you may need to fire your CIO



Enviado do meu iPhone

Vc se sente seguro?... Vá pensando ....

Após Zuckerberg, CEO do Google Sundar Pichai tem conta hackeada | Notícias | TechTudo

Você se sente seguro no mundo digital? 

A pensar como os CEO dos principais serviços  cuidam de suas senhas, vc não deveria...

Me preocupa vê que os principais provedores de serviços terem sua vulnerabilidade revelada a partir da invasão das contas de seus executivos.

Será que eles tratam da segurança das informações de seus usuários e clientes da mesma forma que "cuidam" de suas senhas?

Se os critérios de segurança que eles usam para São frágeis, como será os critérios usados para a guarda dos dados dos outros? 

Leiam a matéria a seguir e tirem suas próprias conclusões.


Após Zuckerberg, CEO do Google Sundar Pichai tem conta hackeada

A onda de invasões a contas de personalidades de empresas de Internet continua. Após Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, ter suas contas em redes sociais roubadas, é a vez do CEO (Chief Executive Officer) do Google, Sundar Pichai, sofrer um problema semelhante. A conta do executivo no Quora, um site de perguntas e respostas, foi invadida pelo mesmo grupo responsável pelo ataque a Zuckerberg. O ataque foi possível graças a uma falha de segurança ainda desconhecida.

Zuckerberg tem contas de Twitter, Pinterest e LinkedIn hackeadas

Sundar Pichai deu entrevista que começou com rumores (Foto: Divulgação) (Foto: Sundar Pichai deu entrevista que começou com rumores (Foto: Divulgação)) Sundar Pichai, CEO do Google (Foto: Divulgação/Google)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Segundo o grupo, a invasão foi feita como prova da existência da vulnerabilidade, que teria sido informada ao Quora antes do ataque e nenhuma medida foi tomada. Após conseguir acesso ao sistema, eles publicaram um único post, que foi divulgado automaticamente na conta do Twitter do CEO.

Esta não é a primeira ação do grupo direcionada a personalidades. No início de junho, ganharam notoriedade ao invadir as contas do Twitter, Pinterest e LinkedIn de Mark Zuckerberg. O método usado para estes ataques ainda é desconhecido, mas parece envolver uma forma de localizar as senhas nos navegadores dos usuários.

Conta de CEO do Google foi invadida por grupo de hackers (Foto: Reprodução/Twitter)


Enviado do meu iPhone

domingo, 26 de junho de 2016

Caruaru - O superbowl do forró e o Sabidão

Safadão doa todo cachê de show do São João de Caruaru

O Sabidão no alto da polêmica, durante a realização do show, aproveitou os minutos  pagos para ele cantar, ocupou para fazer discurso de bonzinho e expor sua marca como do lado do povo...

  • "Se o problema é dinheiro, pode espalhar aí que o meu cachê está voltando para Caruaru para ajudar a quem realmente precisa. Em Caruaru eu toco até de graça. O que eu não quero é ficar de fora dessa festa", disse Wesley.

Disse também 

  • "O problema do país não é meu..."

E continuou  para estimular a mídia expontânea. 

  • "Pode espalhar para todo mundo aí , cache do Safadão vai voltar para Caruaru"

Eu quero é evidências. Uma coisa é dizer é a outra é fazer !


Para acreditar no que ele falou, primeiro tem que fazer a doação integral, segundo, tem que fazer o show grátis no próximo ano ( não me venha com agenda lotada)


De resto, esta atitude é só estratégia de marketing para ter mais exposição ainda !...Tirando mais proveito da mídia espontânea gerada agora no show e nas aparições depois fazendo as doações... 

  • Já estou imaginando Fantástico, mais vc, JN e para  fechae no  próximo  domingo o Faustão com aquele blá blá de sempre!


Sem falar que doando ele vai ter benefício fiscal que vai reduzir o imposto de renda!


Em resumo, vai doar com o dinheiro dos outros.


Assim é moleza !


Mas tem quem discorde, que ele não tem culpa nesta história, que o show dele tem um preço, que doando ele tá fazendo o bem e aproveitando, que ele foi esperto, fez o marketing...


Vamos vê no que vai dar.. É só investigar esses shows envolvendo políticos ... Logo logo vamos saber quem é quem. 


Espero está enganado no caso do "Sabidão", mas quando tem político já sabemos como a banda toca.


As empreiteiras estavam doando para partidos, lembra ?


Tem um gravação rolando por aí, de um artista local, denunciando o "esquemas" nas contratações (http://m.blogs.ne10.uol.com.br/jamildo/2016/06/25/andre-rio-acusa-empresarios-de-articular-esquema-de-shows-com-recursos-publicos/?mobile_device=true ).


Precisamos ser intolerantes com estes tipos  "espetos" que querem levar vantagem em tudo e ainda sair como herói e bonzinho!


Vamos acompanhar o desdobramento!


Para ainda não viu, acesse também o Post do início da polêmica:


👫Caruaru - O superbowl do forró (http://avisara.blogspot.com.br/2016/06/caruaru-o-superbowl-do-forro.html?m=1)


Safadão doa todo cachê de show do São João de Caruaru

Publicado em 26.06.2016, às 04h32

Atualizado em 26.06.2016, às 09h32

O cachê de R$ 575 mil do cantor virou polêmica na semana que antecedeu o show
Foto: divulgação


NE10

O cantor Wesley Safadão resolveu encerrar a polêmica em torno do seu cachê com uma atitude inusitada. Durante apresentação na madrugada deste domingo (26), no Pátio de eventos Luiz Gonzaga, em Caruaru, Agreste pernambucano, o artista sensação do momento anunciou que vai doar todo seu pagamento (R$ 575 mil) para instituições filantrópicas da cidade. 



A prefeitura de Caruaru entrou com um pedido de liberação argumentando a legalidade das negociações e a apresentação foi liberada sob a justificativa de que o cancelamento da atração traria impactos econômicos para a cidade agrestina.


Público foi ao delírio com o anúncio de Wesley Safadão

Público foi ao delírio com o anúncio de Wesley Safadão Foto: divulgação

Um trecho da decisão do desembargador José Viana Filho, que autorizou a apresentação, pontua, no entanto, que as investigações em relação ao gasto público com o show devem continuar: "Advirta-se que a presente decisão apenas autoriza a realização do show antes suspensa, mas não macula a ação popular, que deve prosseguir, até para que posteriormente se confirme a legitimidade das alegações declinadas no presente agravo, além da possibilidade, caso se verifique qualquer irregularidade lesiva à Administração Pública, de ser proposta ação civil pública de improbidade administrativa contra os eventuais responsáveis."


Veja as Fotos


Continue Lendo



Enviado do meu iPhone

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Impunidade Premiada - Mais um vencedor

Dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa é condenado na Lava Jato - Notícias - Política

Olha aí, mais uma Pessoa  condenada a oito anos e dois meses de prisão, mas, por já ter ficado cinco meses preso antes da condenação e por ter aceitado colaborar com a Justiça no acordo de delação,  irá cumprir prisão domiciliar até novembro de 2017.  

Francamente!



Dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa é condenado na Lava Jato

  • Alan Marques/ Folhapress

    Por ser delator, Ricardo Pessoa irá cumprir prisão domiciliar até novembro de 2017

    Por ser delator, Ricardo Pessoa irá cumprir prisão domiciliar até novembro de 2017

Um dos principais empreiteiros a fazer acordo de delação premiada na Operação Lava Jato, o dono da UTC, Ricardo Pessoa, foi condenado pelos crimes de corrupção ativa e participação em organização criminosa por ter pago R$ 38 milhões em propina no esquema de corrupção na Petrobras.

A decisão do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na 13ª Vara Federal de Curitiba, foi divulgada nesta sexta-feira (24).

O repasse de propina estava ligado a contrato feito com dispensa de licitação pela Petrobras para obras e serviços no Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro).

Pessoa foi condenado a oito anos e dois meses de prisão, mas, por já ter ficado cinco meses preso antes da condenação e por ter aceitado colaborar com a Justiça no acordo de delação, ele irá cumprir prisão domiciliar até novembro de 2017.

Como parte de seu acordo de colaboração, Pessoa se comprometeu a pagar uma indenização de R$ 51 milhões.

Ele reconheceu ter participado de um cartel de empresas para fraudar licitações da Petrobras, além de ter admitido o pagamento de propina a ex-diretores da estatal.

Na sentença, Moro afirma que ainda há investigações em andamento e outras ações contra Pessoa, o que pode levar a outras condenações.

A mesma investigação que levou à condenação de Pessoa já havia condenado o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa a 10 anos de prisão e o doleiro Alberto Youssef a oito anos e quatro meses. Costa e Youssef também são colaboradores na Lava Jato.



Enviado do meu iPhone

Privacidade?... Onde ?

Para atiçar ainda mais a paranóia, veja os links abaixo a possibilidades que as tecnologia estão tornando disponíveis, que dependendo da forma com venha a ser utilizadas, tonará a privacidade ainda mais vulnerável.




As paredes têm ouvidos... e boca! - http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=paredes-tem-ouvidos&id=010150141209


Iluminação dedo-duro - http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=luz-ambiente-enxerga-tudo-voce-faz&id=010150160623#.V2vtTPQ4-nM



Enviado do meu iPhone

Caruaru - O superbowl do forró


Como pernambucano, não poderia deixar de dar minha opinião nesta polemica em volta dos shows em Caruaru.

Este comportamento é típico dos administradores públicos, que abusam do dinheiro do outros para tirar vantagem.

A grandiosidade da festa já é reconhecida mundialmente e precisa ser encarado como negócio para gerar receita para o município e seus cidadãos.

O próprio prefeito reconhece no vídeo que é o principal dia... "O dia mais nobre".

Francamente!

Minha leitura é que, se não existe sacanagem por trás destas contratações, é a declaração de muita burrice e falta de competência para gerar riqueza... Ou os três!

Sendo a festa como é, ela deveria ser motivo de uma concorrência muito agressiva do ponto de vista empresarial para ser selecionado quem mais produzir riqueza para o município... 

Não deveria ser fácil participar, ser selecionado para ter o direito de se apresentar no evento. O produto (A festa) tem uma exposição muito grande em todas as Mídias, não apenas no público que comparece no local, mas  como as matérias jornalísticas que são produzidas e a exposição voluntária produzida nas redes sociais.... Tudo isso tem um valor financeiro muito alto! 

Guardadas as proporções,  quanto custa participar de um minuto na superbowl?

Na capital do forró não pode ser diferente! Quem quiser participar deste show único, tem mais é que pagar e não receber!... O preço  mínimo já está mínimo estabelecido pelo mercado, ou seja, se o Safadão alega que vale R$ 575 mil, então este deve ser o valor mínimos que deve ser pago  por quem quiser se apresentar. 

Os eleitores precisam selecionar melhor estes administradores!

Acorda Caruaru, não é só Wesley que é Safadão!

Vejam o vídeo : 
http://globoplay.globo.com/v/5114120



quinta-feira, 23 de junho de 2016

Privacidade vs Antitecnologia

A tecnologia para fugir da tecnologia
Segue reprodução de um Post feito no site Inovação tecnológica (http://www.inovacaotecnologica.com.br) que,  apesar de antigo (2013),  considero oportuno a leitura, em razão do último Post que fiz relacionado à privacidade.

Neste Post vemos que nem tudo está perdido, existem as antitecnologias que vem sendo desenvolvidas, que vão além das fitas adesivas, para proteger os paranóicos. 

"Qualquer pessoa que pense que não está sendo rastreada é um pouco ingênua. Ao comprar algo com um cartão de crédito ou usar cartões de fidelidade oferecidos por lojas, você está sendo rastreado"

Boa leitura.



A tecnologia para fugir da tecnologia

Você também se preocupa com a falta de privacidade provocada pelo avanço da tecnologia?

Para os mais precavidos (ou mesmo preocupados), uma série de novos produtos vem apostando na tecnologia para fugir dela.

Enquanto os mantos de invisibilidade não alcançam a praticidade, os inventores tentam criar suas versões de "invisibilidades parciais".


"A tecnologia está se transformando em algo mais pessoal", afirma o especialista em segurança Graham Cluley. "Vamos ver mais e mais dispositivos que podem ser transportados ou até mesmo vestidos pelos usuários."

Lentes antilentes

O Instituto Nacional de Informática no Japão desenvolveu um protótipo de lentes que inibe a funcionalidade das câmeras de reconhecimento facial.

O dispositivo é descrito como o antídoto aos óculos do Google, o Google Glass.

O objeto tem 11 microlâmpadas de LED, dispostas em torno das sobrancelhas e do nariz.

"As microlâmpadas de LED são instaladas ao redor desses locais porque a tecnologia que permite a detecção facial contrasta partes claras (olhos e nariz) e escuras (nariz)", explicou o professor Isao Echizen.

"Ao colocarmos fontes de luz próximo às partes escuras do rosto, conseguimos bloquear o reconhecimento facial", assinalou o especialista.

Echizen também está desenvolvendo viseiras que contêm material refletor e que absorvem a luz para inibir câmeras que não dependem da luz infravermelha para funcionarem.

Roupa que bloqueia a radiação

Emil DeToffol, um engenheiro e ex-dentista de Nova York, fundou o site lessEMF.com em 1996, após a crescente preocupação com os riscos não comprovados da exposição à radiação eletromagnética emitida pelos aparelhos eletrônicos que usamos em nossas vidas.

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS, na sigla em inglês) diz que não identificou riscos associados com dispositivos (de telecomunicações), mas acrescenta que "poderia ser muito prematuro para detectar riscos a longo prazo ou problemas que poderiam estar associados a eles".

A empresa de DeToffol especializou-se em vender uma variedade de produtos: desde gorros de beisebol até lençóis, que contêm prata, cobre, aço inoxidável ou fibras de carbono, materiais que refletem a radiação.

"Nos anos 90, as principais preocupações estavam relacionadas com linhas elétricas, mantas elétricas, telas de visualização de tubos de raios catódicos. Não existia wi-fi. Os celulares estavam apenas começando (a serem vendidos)", disse DeToffol. "Agora que nosso mundo se torna mais globalizado, muita gente está ficando doente (por causa da tecnologia)".

Embora não tenha nenhum problema de saúde, DeToffol disse que clientes de todo o mundo se queixam de uma variedade de sintomas que vão desde dores de cabeça e irritabilidade até zumbidos nos ouvidos e problemas cardíacos.

Para ele, a radiação poderia ser a causa desses males.

"Não se trata da maioria da população, mas um certo percentual ficou doente por isso", acrescentou.

Os produtos que tiveram mais sucesso são os gorros de beisebol e as balaclavas (gorro que encobre a cabeça e o pescoço para proteger contra o frio), além de uma capa que cobre tanto a cabeça quanto o torso, explicou DeToffol.

"A pergunta chave é qual parte do corpo precisa ser protegida", disse o empresário. "O mais comum é cobrir a cabeça, particularmente quando se está dormindo".

Gaiola de Faraday

O nome faz alusão ao seu criador, o cientista britânico do século 19 Michael Faraday.

A gaiola de Faraday é uma construção de metal que funciona como escudo contra as ondas eletromagnéticas.

A invenção impede que dispositivos como celulares ou qualquer objeto que possua chips de identificação por radiofrequência, incluindo passaportes e cartões de crédito, possam receber e transmitir informação.

A revista Wired publicou um guia na Internet sobre como construir com fita adesiva e papel alumínio uma gaiola de Faraday do tamanho de uma mão, para aqueles preocupados com a possibilidade de que a informação em cartões e aparelhos pudesse ser subtraída através de escâneres.

Um desertor tentou criar a sua própria versão da gaiola de Faraday quando morava na Coreia do Norte, onde o uso dos celulares é estritamente controlado pelas autoridades.

"Para evitar que as frequências dos celulares fossem rastreadas, enchia um recipiente com água e colocava a tampa de uma panela para cozinhar arroz sobre a minha cabeça quando fazia um telefonema", disse ele. "Não sei se funcionou, mas nunca me detiveram."

Pintura contra os dispositivos sem fio

Em 2009, pesquisadores da Universidade de Tóquio, no Japão, desenvolveram um tipo de pintura que pode bloquear sinais de dispositivos sem fio.

A pintura contém óxido de alumínio que ressoa a mesma frequência que o wi-fi. Isso permite que a transmissão da informação de dentro para fora (ou vice-versa) de um objeto com a pintura seja bloqueada.

A ideia de uma pintura que bloqueasse a radiofrequência não era nova, mas foi a primeira do tipo em absorver frequências de 100 gigahertz, afirmaram os pesquisadores. Desafios

"A existência da antitecnologia revela a preocupação da nossa sociedade e indica que deveríamos tratar esse assunto com seriedade", afirma a especialista em tecnologia Suw Charman-Anderson.

"Precisamos ter uma discussão pública sobre o que achamos aceitável ou não".

"Qualquer pessoa que pense que não está sendo rastreada é um pouco ingênua. Ao comprar algo com um cartão de crédito ou usar cartões de fidelidade oferecidos por lojas, você está sendo rastreado", acrescentou.

"Mas o nível de medidas necessárias para esconder-se totalmente traria consequências negativas para o bem-estar emocional. Acredito que devemos escolher bem quais batalhas queremos travar".



Enviado do meu iPhone

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Caldo de galinha e um pedaço de fita adesiva não faz mal a ninguém.

Parece que Mark Zuckerberg é realmente paranoico com o seu notebook - TecMundo

Não tem nenhuma novidade na notícia que segue abaixo , apenas ratifica que privacidade é um conceito que não existe mais.

A notícia só vem a confirma a mudança do ditado popular, "caldo de galinha e um pedaço de fita adesiva não faz mal a ninguém".

Na minha leitura, a preocupação do Mark tem no seu bojo a confirmação que o FACEBOOK monitora tudo que pode ser visto, escutado ou escrito. 

Quem ainda não foi surpreendido com um link patrocinado na sua timeline de algo que foi falado com alguém? 

Ainda mais quando reforçado por comportamento semelhante do diretor do FBI.

Não acho que Zuckerberg e o diretor do FBI sejam paranóicos, eles apenas conhecem mais o contexto que os outros.

Na verdade o comportamento do Mark deve ser seguido por quem deseja preservar um pouco da privacidade.

Mas isso só não é suficiente...

Imaginem quando for divulgado que as luzes de standby de equipamentos eletrônicos na verdade são câmeras e microfones que enviam pela rede elétrica suas informações para o Centro de Controle da Vida Alheia...

Não fique paranoico, mas certamente você  vai mudar a forma como se comporta com alguma facilidade tecnológicas depois da  leitura dos Post do link a seguir: 

 
Faça a leitura e tire suas próprias conclusões.



Parece que Mark Zuckerberg é realmente paranoico com o seu notebook

Ontem, publicamos uma notícia informando que sim, alguém pode estar lhe vigiando por meio da webcam no seu notebook ou computador. Até pode parecer algo irrelevante para você, mas até o diretor do FBI é preocupado com isso e resolveu colar um pedaço de papel na lente da câmera. Agora, por causa de uma foto, descobrimos que outra pessoa também é paranoica em relação à vigilância de webcams: Mark Zuckerberg, o CEO do Facebook.

Para celebrar os 500 milhões de usuários ativos no Instagram, Zuckerberg postou uma foto na qual é possível enxergar o seu notebook de trabalho. E quão incrível é notar que a webcam e o microfone do laptop estão cobertos com adesivos? Muito, principalmente por causa da ironia.

A ironia aparece porque Mark Zuckerberg é o CEO de uma das plataformas que mais coletam dados de usuários. São bilhões de informações pessoais, como nomes, sobrenomes, endereços, números de cartão, fotos, arquivos etc., angariadas pela rede social. E, mesmo assim, apenas uma foto provou que o próprio homem tem medo de ser espionado.

Veja a foto original:

Zuckerberg felizão da vida

Agora, preste atenção nas indicações:

Zuckerberg preocupadão

Invadir é fácil

Recentemente, quem resolveu tocar neste assunto delicado — a maneira como somos observados na internet — foi o pessoal da ONG Safernet.

"Qualquer câmera num dispositivo com acesso à internet é vulnerável; o que muda é o grau de complexidade da invasão", comentou Thiago Tavares, presidente da Safernet, à Folha de S. Paulo. A companhia recebe denúncia de crimes cibernéticos, o que confere respaldo suficiente para Tavares indicar precisamente o que acontece.

Para acessar a notícia completa, clique aqui. Por lá, você também encontra mais dicas sobre como se proteger de arquivos maliciosos e crackers na internet.



Enviado do meu iPhone


Enviado do meu iPhone

domingo, 19 de junho de 2016

5 dicas que podem o ajudar a falar melhor em público - Carreira

5 dicas que podem o ajudar a falar melhor em público - Carreira

Sempre vale a pena uma dica, quanto mais 5!

5 dicas que podem o ajudar a falar melhor em público

Seja apenas uma simples apresentação para os colegas de trabalho ou um workshop corporativo, algumas pessoas têm verdadeiro pavor de subir ao palco para discursar em público. Para amenizar um pouco essa situação, alguns conselhos mais tradicionais vão desde imaginar o público "sem roupa" até praticar ou tentar manter contato visual com sua audiência.

Mesmo sendo práticas, nem sempre essas dicas são suficientes para diminuir o nervosismo dos oradores. Por isso, preparamos uma lista completa com cinco artifícios que podem ajudar a superar, ou pelo menos amenizar, o medo de falar em público.

1

1. Foque no que deseja passar ao público, e não em você mesmo

Mesmo que pense que é você que está no foco principal, o importante é se dedicar ao discurso, ou apresentação. Em geral, você mesmo preparou os tópicos e ensaiou muito antes de chegar ao dia fatídico. Sendo assim, tente esquecer de você. Foque somente no que o seu discurso pode acrescentar para sua audiência.

Quando a ênfase passa de você para a mensagem proposta, o discurso final tem tudo para ser melhor e menos angustiante. Seguindo essa dica, você acaba prestando menos atenção no que as pessoas estão pensando sobre você, e assim acaba apresentando o seu texto ou discurso melhor. Aliás, focar menos na perfeição e mais na autenticidade ajuda bastante, e também pode soar mais natural do que uma apresentação totalmente ensaiada. 

Geralmente, é assim que discursos interessantes nascem e agradam mais o público. 

2. Tente conhecer como os seus medos refletem no seu corpo

Mesmo meditando, praticando ou se imaginando no palco semanas antes de apresentar o seu discurso, você provavelmente vai sentir medo. Minutos antes de subir ao palco, a adrenalina já vai estar pulsando pelo seu corpo. É nesse momento que é importante tentar conseguir manter o controle; dessa forma, é possível evitar transformar toda a sua apresentação em mais uma daquelas situações embaraçosas.

Na verdade, tentamos curar o "medo de ter medo" antes mesmo de centenas de pessoas focarem suas atenções em nós. O problema, é que, na maioria dos casos, essa prática não costuma funcionar muito bem. No fim, subimos ao palco ainda em pânico, muitas vezes fazendo o possível para não desmaiar ou gaguejar. Desse jeito, mesmo que o discurso em si não seja ruim, toda a situação fará sua avaliação pessoal ser ruim.

Em vez de gastar muito tempo se preparando, tente conhecer os sintomas que o medo de falar em público gera. O que acontece quando você começa a sentir medo? Você acaba falando rápido demais? Fica distraído? Sente vontade de vomitar? Busque maneiras de identificar as reações que esse medo causa em seu corpo. O ideal é tentar combater uma a uma separadamente.

3. Seja proativo

Alguns executivos de grandes empresas se sentem melhor praticando exercícios antes de discursarem em algum evento ou reunião importante. O que de fato funciona: queimar calorias ajuda a baixar os níveis de adrenalina e pode ser mais uma ferramenta que pode ser utilizada para acalmar seu nervosismo e te deixar mais confiante.

Outra dica que pode funcionar, é tentar transformar o nervosismo em excitação. Esse simples processo faz o seu cérebro mudar um pouco o reflexo da situação que gera o estresse, o que pode acabar te acalmando. Essa mesma estratégia é utilizada, por exemplo, por atletas profissionais antes de grandes competições.

Ninguém melhor do que você mesmo para avaliar o que funciona melhor ou não. Tente planejar atividades confortáveis alguns dias ou horas antes de ter de se apresentar em público.

4. A plateia não será composta apenas por rostos amigáveis

Entre os mais atentos e sorridentes, inevitavelmente você terá de lidar com pessoas que parecem querer que a sua apresentação acabe o quanto antes. Mesmo falando para 40 ou 400 pessoas, é bastante comum ter de encarar alguns rostos nada amigáveis no meio da plateia. Seja apenas por falta de paciência, ou desinteresse, infelizmente não temos como controlar a reação de todos dependendo de qual é o assunto abordado.

A recomendação é tentar se concentrar na parte do público mais interessada e nos rostos sorridentes, afinal de contas perder muito tempo tentando ganhar o interesse dos impacientes pode acabar te distraindo e minando toda a sua energia e concentração.

5. Não tenha medo de levar uma "cola"

Para ser sincero, quem adora passar algumas horas do dia ouvindo apresentações no PowerPoint? Claro, é muito importante estar preparado para fazer uma boa apresentação, seja ela qual for. Mas fique atento, pois ficar apenas lendo notas repetidamente não vai fazer com que sua audiência se conecte ou absorva o que você está dizendo.

Uma sugestão é dividir todo o assunto em pequenos tópicos em diferentes slides em sua apresentação. Além disso, pode ser uma boa ideia preparar uma folha de papel com as informações mais importantes que você deve passar adiante. Assim, mesmo no meio da apresentação caso esqueça alguma coisa importante, confira sua cola e volte a abordar o assunto normalmente.

Caso nunca tenha discursado em público antes e esteja esperando pela "hora certa" de desafiar a si mesmo, saiba que não existe essa hora certa. Caso tenha a oportunidade de falar sobre um assunto que você goste em alguma conferência de seu interesse, ou mesmo algum evento local que gostaria de apresentar, tente entrar em contato com a organização desses eventos demonstrando o seu interesse em participar como orador(a). Seguindo as dicas que passamos até aqui, nem mesmo o medo de discursar vai impedir que você faça uma boa apresentação.

Via: The Muse



Enviado do meu iPhone