quarta-feira, 24 de maio de 2017

Wannacry - Uma ação de harckers ou apenas uma estratégia de negócio.

Será que a pirataria foi o motivador da onda de ataques?


Será que o ataque foi uma  ação de harckers ou apenas uma "estratégia" para forçar a legalização e atualização da versão do sistema operacional?


Pelo menos foi o que me levou aos questionamentos destas possibilidade a matéria publicada por Reuters.

Fazendo uma "conta de padeiro",  considerando 300 mil computadores com versão desatualizada, imaginando que 39% são pirata, ou seja, 117 mil equipamentos que estão sendo forçados para serem "legalizados".  Considerando ainda que ter uma cópia oficial, requer o  desembolso de US$ 140,92 (ao invés dos US$ 300 do resgate, continuando vulnerável), esta ação irá proporcionar algo em torno de US$ 42,2 milhões, dos quais US$ 16,5 milhões de novas cópias oficiais. Somando-se a isso, a redução de custo "monstruosa" com a desativação de estrutura de suporte para as versões antigas que não rentabilizam mais e impedem "vendas" de novas "facilidades". 


Versões mais modernas de Sistema Operacional, forçam novas versões de produtos, rentabilizando o parque antes obsoleto e abre o caminho para novos produtos e novos serviços!


Segue versão resumida do que foi publicado por Reuters.



Reuters - O serviço postal russo foi atingido pela Wannacry ransomware na semana passada e alguns de seus computadores ainda estão abaixo, disseram três funcionários em Moscou, o último sinal de fraquezas que fizeram do país uma grande vítima da campanha global de extorsão.


Outras instituições na Rússia disseram que foram infectadas pelo vírus, destacando a disponibilidade de Moscou para mostrar que também é uma vítima freqüente de cibercrime em face de alegações dos Estados Unidos e da Europa de hackers patrocinados pelo Estado.


O Ministério do Interior, o operador móvel MegaFon e o monopólio ferroviário estadual, todos os russos relataram infecções, com funcionários fechados de seus computadores e os criadores do vírus exigindo resgates de US$ 300 a US$ 600.


O banco central russo disse na sexta-feira que o vírus também comprometeu alguns bancos russos em casos isolados.


De 300.000 computadores infectados em todo o mundo, 20 por cento estavam na Rússia.


Globalmente, poucos resgates foram pagos depois que muitas vítimas descobriram que poderiam restaurar seus sistemas de backups.


"Muitas empresas na Rússia usam sistemas desatualizados e anti-malware antigos", disse Nikolay Grebennikov, vice-presidente de pesquisa e desenvolvimento da empresa de proteção de dados Acronis. "Em grandes empresas atualizações são difíceis de executar e evitado por causa do orçamento e escala."


O uso freqüente de software pirata na Rússia também ajudou a espalhar a infecção Wannacry, disseram os investigadores, como produtos não licenciados não recebem atualizações de segurança.


A Reuters não encontrou nenhuma evidência de que empresas russas infectadas com o vírus Wannacry usassem software sem licença. Mas a pirataria informática é uma questão de longa data para as empresas de tecnologia na Rússia, que se tornou cada vez mais aguda como a queda econômica do país e rendimentos em queda tornar os produtos licenciados proibitivamente caro.


Dados compilados pelo grupo de comércio da BSA Software Alliance mostram que 64% dos produtos de software na Rússia foram pirateados em 2015 - uma indústria de mercado negro no valor de US $ 1,3 bilhão - em comparação com uma média global de 39%.


"A pirataria ainda está muito difundida na Rússia, especialmente se estamos falando de usuários domésticos", disse Grebennikov. "Isto é por causa da pobreza. Se um sistema operacional custar 500 rublos, as pessoas iriam comprá-lo."


Vejam a matéria completa:


👉 https://goo.gl/dc81MW



IDFM


Nenhum comentário:

Postar um comentário