quarta-feira, 29 de maio de 2019

O que uma feijoada pode ensinar?



Ontem lembrei de um almoço com amigos, numa típica quarta-feira de feijoada, que nos levaram a reflexão na época e resolvi compartilhar:
  • Será que você não mereceria muito mais do que vc esta dando para você?
  • Se não damos o melhor para nós, como podemos esperar que os outros (nosso chefe) acreditem que fazemos o melhor para a empresa, para ele e para os outros?
  • Se vc não se valoriza, como espera que outros te valorizem?
  • Se vc não dar o melhor para você, como espera que os outros te deem?
  • Pois é... depois ficamos lamentando porque não temos aumento, não somos promovidos ou não temos qualquer outro tipo de reconhecimento ou oportunidade.
Possivelmente, uma feijoada banal naquele dia, plantou uma semente na cabeça dos mais jovens na época.

Mas afinal, Você merece muito mais do que vc esta dando para você?


By IDFM

Cadastro positivo...

Estava aqui pensando como somos enganados...

As empresas aéreas prometiam reduzir os preços das passagem se passassem a cobrar pela malas... nada aconteceu com as passagem, terminaram é sendo aumentadas.

O cadastro positivo seria o remédio para a redução dos juros...alguém viu juros cair?

Quando será que os bancos vão cumprir com essa promessa?

A população deveria passar a receber mensalmente por ter suas informações armazenadas e sendo acessadas pelas instituições, não seria mais justo?

Não estaria na hora de mudar este modelo de negócios que só um lado fatura?

Pq não?


By IDFM

domingo, 26 de maio de 2019

🙏🏻Gratidão - Quem tem como pagar...

Gratidão, é uma palavra muito em moda atualmente no mundo profissional, não é mesmo?

🙏🏻

Tenho observado uma estratégia de marketing pessoal, muito em voga nas mídias digitais, uma forma de demonstrar que é "moderno das relações com o mundo", passar a ter a palavra gratidão no discurso do dia-a-dia, esquecendo do verdadeiro significado de gratidão.

Mas será que somos realmente gratos?

Será que a vida profissional, o marketing pessoal, não distancia as pessoas dos valores básicos mais primitivos?

Será que conseguimos olhar para nosso próprio umbigo e enxergar pelo que realmente devemos ser gratos?

Será que os exageros nas nossas relações, no marketing pessoal e nas conexões não estão nos tornando uma pessoa ingrata aos olhos dos olhos?

Será que estamos sendo justos com nossa gratidão?🤔

O universo sempre devolve o que damos a ele, também nos cobra o que retiramos dele e sempre teremos o que dá em "pagamento", nem que seja a gratidão!


O universo é grato por tudo e por todos, do ponto de vista dele, "Quem tem como pagar, não lhe deve nada!". Não tem almoço grátis, não é verdade?😂


By IDFM

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Nem sempre foi assim.

Sempre que vc estiver diante de uma situação que aparentemente não tem explicação de ser, ou que lhe dizem que sempre foi assim, é preciso questionar.

É preciso se indignar com as "velhas práticas e velhos conceitos", sejam elas no relacionamento entre pessoas, religião, política ou qualquer outra coisa.

Podem existir novas formas de fazer, de ser, de se relacionar não é mesmo?

Assistam este vídeo abaixo, ele retrata bem este conceito.

O vídeo é antigo, mas você vai agradecer depois por ter assistido.

Com certeza você vai lembrar deste vídeo quando você estiver diante de situações como o "toma lá dá cá", o "jeitinho brasileiro", o "politicamente correto" ou outras mazelas que precisam ser questionadas!

Não podemos nos deixar ser um desses macacos não é mesmo?

By IDFM

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Você faz parte dos que estão na caverna ou daqueles que conseguiu se libertar das correntes?

Quantas vezes nos deparamos com situações de conflito, na qual temos a perfeita visão de algo e descobrimos depois que não era nada daquilo que estávamos "vendo".

Por aqui já publiquei pelo 2 casos (cor de vestido e cor de tênis) que evidenciam que nem sempre o que se vê é exatamente o que é e principalmente pode não ser o que os outros veem.

Os conflitos gerados pelas diferentes percepções muitas vezes passa da insanidade.

Sejam diferença provocadas pela luz ou falta dela, seja pela localização geográfica e principalmente por experiências vividas.

Estas diferenças fazem as pessoas terem opniões diferentes para um mesma realidade.

Coisas sem importância aparente, ou até mesmo vistas como negativas, sendo expostas a um foco de luz, outra localização ou mais vivência, passam a ser a pílula da salvação, que, aos olhos obstruídos pela escuridão são vistos com distorções da realidade.

Valores que nunca conhecemos ou não tinham importância, quando relevados pela luz, sem as distorções da escuridão e da desinformação, passam a ter outras importâncias que não tinham por estarem atrás das distorções e inversões de valores.

Estes conflitos vem desde os primórdios da civilização.

O mito das cavernas, retrata bem este conflito.
Mito da caverna é uma metáfora criada pelo filósofo grego Platão, que consiste na tentativa de explicar a condição de ignorância em que vivem os seres humanos e o que seria necessário para atingir o verdadeiro "mundo real", baseado na razão acima dos sentidos." - Significados.com.br
Assistam o vídeo abaixo, ele é curto e vai levar a reflexão.

Não tenho dúvida de que, da próxima vez, quando estive diante de conflitos, você vai lembrar deste mito e será levado a refletir se você está dentro da caverna ou se foi agraciado pela luz fora da caverna.


Afinal, você faz parte dos que estão na caverna ou daqueles que conseguiram se "libertar das correntes"?

Não deixe também de acessar o link abaixo, vc vai gostar de lê .



By IDFM

Esponjas e chips - Educação na primeira infância.

Muito interessante postagem feita G1 com a entrevista feita pela BBC com James Heckman - Nobel de Economia - sobre a educação infantil como estratégia de combate ao crime, redução de desigualdade social e para melhores condições para as gerações futuras.

Gostei muito de ter lido a entrevista, por isso resolvi compartilhar.

A matéria destaca a importância da educação na primeira infância (de 0 a 5 anos de idade) e do engajamento da família no estímulo das crianças, fase quando é mais fácil incentivar habilidades cognitivas e de personalidade - atenção, motivação, autocontrole e sociabilidade - necessárias para o sucesso na escola, saúde, carreira e na vida.

Quem nunca falou para crianças desta idade, essa criança é uma esponja, não é mesmo?

Outro destaque vai para o resultado de fase a pesquisa concluída agora em maio, mais de 50 anos depois do início do programa, na qual confirma os resultados e mostra que não apenas os participantes (as crianças) se beneficiaram do programa, mas também seus filhos, estes mais escolarizados e bem empregados. Pelo simples fatos deles, quando país, reproduzem com os filhos o que aprenderam na infância.

Os filhos (esponjas) já partem em condições melhores, parecem até que vem ao mundo com chips de conhecimento que são ativados quando estimulado.

Criança bem formada consegue aproveitar melhor aprendizados futuros.


Caso tenha interesse, Leiam a matéria completa acessando o link abaixo:

 👉https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/educacao/noticia/2019/05/21/investir-em-educacao-para-a-primeira-infancia-e-melhor-estrategia-anticrime-diz-nobel-de-economia.ghtml


By IDFM

terça-feira, 21 de maio de 2019

Patinete - O paradoxo da Mobilidade Urbana

Estava pensando agora no paradoxo da gestão da mobilidade urbana que vem sendo "fomentado" por algumas cidades e promovidos pela mídia, o que me levou a escrever este post.

Os transportes alternativos chegaram como solução criativa para o transporte individual, um privilégio que sempre foi visto como o grande vilão da mobilidade urbana, passam a ser o vilão da história.

Isso mesmo, passou de solução para um problema aos olhos dos "gestores" da mobilidade urbana.

Sem atender aos interesses do transporte individual, estão buscando "formas" de "minar" as soluções e manter o caos provocado pelo transporte individual, "entupir" as ruas e aumentar o faturamento do transporte coletivos para curtas distâncias ... francamente!

Interessante de tudo isso é que, de uma hora para outra, várias cidades estão "preocupadas" com a regulamentação de patinetes elétricos, como se tivesse "alguém" orquestrando este movimento.

A mídia também "resolveu" fazer matérias jornalísticas dando conta de acidentes, alegando suportas estatísticas de "supostas" "clínica particular". Estranho não?

O estranho não fica aí... estão levando os patinetes para disputar espaços com os carros, para mim é uma nítida forçada de barra que fará os usuários desistirem deste meio de transporte alternativo.

Pelo menos é o que diz as regras da Prefeitura de São Paulo que proíbe a circulação nas calçadas, diferente do Código Brasileiro de Trânsito (CTB) que prevê que os patinetes andem somente em áreas de circulação de pedestres, ciclovias e ciclofaixas. Como pode?

Fala-se de acidentes de patinetes e bicicletas como sendo o mal, mas acidentes sempre existiram e vão existir.

É preciso ficar atendo e ter cuidado com este movimento.

A quem realmente interessa a rigidez das "regras"?

É preciso ficar alerta para que não seja o velho estilo de gestão pública do "criar de dificuldades para vender facilidade", travestidos de regulamentação.

A ideia de multar os prestadores de serviços (com valores de R$ 100 a R$ 20mil), por descumprimento das regras pelos usuários, me faz lembrar das regras que a União Europeia aprovou recentemente "contra" a Bigs da Internet que irão levá-las a abandonar a Europa nos próximos anos.

Pelas regras, penso que estão claramente querendo tirar as empresas do mercado brasileiro, ou criar uma barreira que favorece alguém!

Resta saber quem ganha com isso?

Será que as empresas de transporte coletivo, urberes e taxistas tinham perdido faturamento com os usuários de trajetos curtos que passaram a usar as Bikes e os patinetes?

Será que os bancos (mais visíveis para mim), que exploram as bikes já algum tempo, viram os planos de negócios deles ruírem com a entrada de concorrente e novas formas de locomoção?

Penso que deve ter regulamentação sim.

Penso que deve ter regulamento para a ocupação do espaço público que estas empresas fazem com seus equipamentos estacionados "jogados de qualquer jeito" para a prestação do Serviço.

Vejo a ocupação de grandes áreas nas ruas com estações de Bicicletas e sempre me pergunto, será que pagam pela ocupação?

Uma cidade com poucas áreas de estacionamentos, não pode se dar ao luxo de disponibilizar áreas segregadas para bikes privadas e mesas de espera para restaurantes, não é mesmo São Paulo? (Duvido muito que eu ou qualquer mortal conseguiria ocupar a via pública)

Aqueles que não encontraram outro meio de sustentar a família e partiram para vender frutas ou um café da manhã, são caçados pela fiscalização como "um mal" para a mobilidade urbana, não pode ser diferente para as bikes e patines quando estão estacionados, não é verdade?

Quem presta os serviços de bike e patins são grandes empresas, porque elas não alugam imóveis ou vagas de estacionamentos para estacionar seus equipamento e prestar o serviço?

Não adianta querer criar as dificuldades.

As soluções criativas para o problema de mobilidade urbana não podem ser barradas por regras, regulamentações que não enxerguem o interesse da sociedade, não pode ser uma "muleta" para manter as empresas atuais que dominam o mercado com os transportes tradicionais.

Imagino quanto foi duro para os automóveis "decolarem", atolados no mar de lama de bosta dos cavalos e das cabeças dos burocratas da época! Guardadas as Proporções, estamos passando pelo mesmo momento!

Quem tiver interesse como funciona pelo mundo, o Estadão vez um resumo no final da matéria publicada em https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,patinete-eletrico-chega-a-10-capitais-mas-ainda-nao-ha-regulamentacao,70002797348.amp

By IDFM

Será que vale a pena?


Tem gente que não tem jeito, sempre é do contra, seja lá por qual o motivo, estão lá, criticando e procurando todos os motivos para que as coisas não aconteçam como deveriam. Vivem profetizando o apocalipse em tudo!

Quem não tem no trabalho, nas conexões ou por perto uma pessoa assim? Pois é...

Será  que é um vírus que contaminam as pessoas, ficam adormecidos e se despertam aos poucos?

Talvez seja, pela quantidade de pessoas que parecem aumentar, né mesmo?

Ter pessoas favoráveis e contra, tudo bem, faz parte da vida. Afinal o mundo é feitos de diferenças, a vida surge das diferenças do “x” e do “y”, não é mesmo?

Não da para entender, ser um dos marinheiros de num navio e torcer para ele ser um Titanic, que partiu com um incêndio a bordo,  sabendo que no final ele vai naufragar e vc vai morrer sem chegar ao final da viagem.  

Não da para entender...

Resolvi fazer esta postagem para aqueles que são contra tudo que se tenta fazer para apagar o fogo nos porões. Fogo que começou antes do Titanic com a nova tripulação zarpar.

Assistam o vídeo.



Será que vale a pena torcer contra?

By IDFM




Instagram - Já trocou sua senha? Deveria!

Impressionante, mas não param de surgir notícias de vazamentos e falhas de segurança vindas do reino de Mark Zuckerberg. 

É uma cagada atrás da outra, gente!

Agora chegou a vez do Instagram.

As notícias dão conta do vazamento milhões de registros que estavam sem qualquer senha de proteção.

Entre os dados armazenados estão números de telefone e e-mails pessoais dos Instagrammers.

O destaque fica que o foco da base de dados exposta são os dados de celebridades.

Um detalhe, mais uma vez o caso está relacionado a base de dados, armazenada na Amazon Web Services, que estava exposta e sem qualquer tipo de senha como proteção, ou seja, falha primária de segurança, isso mesmo, muito amadorismo!

Já trocou sua senha? Deveria!

Vale a regra, troque sua senha do Instagram, Facebook e reveja suas configurações de segurança nos Apps que vem do reino do Zuckerberg.

By IDFM

terça-feira, 14 de maio de 2019

WhatsApp - Até onde vai a privacidade?

Pois é, ainda recuperando do jet lag das férias, fui despertado com a notícia de mais uma “cagada” que vem do reino de Mark Zuckerberg, desta vez bilhões de pessoa no mundo estão sendo vítimas de "falha de segurança" do WhatsApp. 

A notícia da conta que Hackers exploraram a falha para instalar programa espião que permite o acesso aos dados pessoais do smartphone, acessar a câmera e o microfone do celular remotamente.

O WhatsApp alega que a exploração desta falha pelos hackers foi com objetivo de afetar um grupo pequeno de usuário (É piada, querer minimizar, não acham?), que o objetivo é "vigiar" remotamente os smartphones de alvos específicos.

WhatsApp alega ainda que "O ataque tem todas as características de ser de uma empresa privada que supostamente trabalha com governos para criar programas de espionagem que assumem as funções do sistema operacional do telefone"

Segundo o Financial Times o software espião foi criado por uma empresa com sede em Israel (NSO Group), acusada de ajudar governos a espionar ativistas e jornalistas.

Você tinha duvida?

Alguns podem me rotular como neurótico, ou como teoria da conspiração alguns pensamentos que tenho trazido para o AvisAra, como em 2013 quando defendi que "As empresas passarão a ter obrigatoriamente, como modelo de gestão, nos seus organogramas OLCC – Others Lives´s Control Center para se tornarem mais competitivas !", http://avisara.blogspot.com/2013/06/e-agora-jose.html?m=1

Agora, com mais esta revelação de falha de segurança, me leva acreditar que já é uma realidade os centros de controle para bisbilhotar a vida alheias, principalmente se forem concorrentes.

Imagine o que se pode ter de informação privilegiadas, secretas, "vazadas" pelo simples e inocente presença de um smartphone em uma sala de reunião ou mesmo no encontro de duas pessoas que estejam tomando decisões que pode afetar o mercado ou a concorrência?

Ou até mesmo em reunião de uma "força tarefa" definindo a estratégia de uma operação para o dia seguinte?

Ou até mesmo um executivo "ensaiando" um discurso de anúncio de uma fusão, aquisição ou calote e que poderá mudar o mercado de ações?

Para os simples "mortais"
trabalhadores, quem garante se nossa localização, as imagens, nossas conversas e sons por onde passamos, não estão sendo monitorado por seus empregadores?

Quem me acompanha por aqui deve lembrar de portagem que fiz aqui AvisAra, https://avisara.blogspot.com/2016/05/nao-tem-bola-de-cristal.html?m=1, alertando para as fragilidades e modelos de negócios baseados em segurança, Privacidade, "espionagem" e os novos negócios que vem surgindo dentro deste "contexto de pavor", não poderia ser diferente, não acabam?

O que nos resta fazer?

Quem hoje depende do smartphone para fazer qualquer coisa, não resta outra coisa que ficar alerta cada vez mais com a presença do smartphone.

Deve imagina-ló como sendo um ser (digital) com poderes telepáticos que tudo vê, que tudo escuta, que tudo sabe e que tem vocação para ser fofoqueiro, que pode contar toda sua vida para os outros sem você saber!

Lembre-se sempre, se tem algo que não pode ser divulgado ou outros saberem, mantenha seu smartphone longe, ele tem ouvidos e olhos. Nas reuniões, mantenham eles fora da sala!

Se for dormir ou "brincar", deixe fora do quarto...😂



Será que é uma "falha acidental" ou apenas mais um "backdoor", "Back Orifice" ou até mesmo uma API, que foi descoberto "acidentalmente" que precisou "ser revelado"?

Esta dúvida sempre estará presente em todas as revelações, afinal, os Negócios que usam o "falso apelo"  de "serviços gratuitos", faturam fortunas, bilhões, com as informações que seus usuários, seguidores e alucinados fãs coletam espontaneamente, adicionam aos seus próprios rastros digitais. 

Quantas das grandes empresas mundiais estão dispostas  a abrir o código para a verificação (inspeção) de que se mantém a privacidade das informações ou de se verificar se faz o que se propõe a fazer?

Dificilmente teremos quem esteja disposto a abrir o jogo.

Será que ainda existe dúvida que o simples fato de ter um smartphone, estamos abrindo mão de nossa privacidade?

Minha leitura é que as pessoas de modo geral não enxergam riscos. Não adianta de nada as leis de proteção que estão sendo criadas pelo mundo a fora, o modelo de negócio dos "serviços grátis" para sobreviver dependem de coletar e "vender" informação e os usuários, convencidos que não correm riscos, continuarão aceitando os termos de uso dos aplicativos e o uso de suas informações.

E vc? é do time dos que não enxergam riscos?

By IDFM

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Cinza vs Rosa e Verde vs Branco

Interrompendo as férias, resolvi fazer esta publicação que, pelo assunto, sempre trás polêmica. 


Já viram esse teste? 


Pessoas com dominância do lado esquerdo do cérebro enxergam tênis cinza e verde. 


As com dominância do lado direito enxergam rosa e branco... 🤓




Eu vejo cinza e verde. E vc?


Comentem aí que cores vc vê no tênis!


Quem tiver interesse, veja outra caso polêmico semelhante.


👉https://avisara.blogspot.com/2015/02/que-cor-e-esse-vestido.html?m=1



By IDFM